TRABALHO E CAPITAL NA VIRADA DO MILÊNIO – Paulo Sergio Tumolo

TRABALHO E CAPITAL NA VIRADA DO MILÊNIO – Paulo Sergio Tumolo

Os textos deste livro compõem dois blocos de assuntos, unidos por um elo que os interliga: a relação entre capital e trabalho na virada do milênio. No primeiro bloco, calçado no referencial do materialismo histórico, o autor busca compreender algumas características concernentes à conformação do capitalismo no período contemporâneo, principalmente por meio da abordagem da relação entre os chamados centro e periferia do sistema. No segundo, são apresentados os resultados de pesquisas sobre duas experiências da classe trabalhadora, ou melhor, sobre as trajetórias histórico-políticas de duas centrais sindicais mais expressivas de seus respectivos países, a Central Única dos Trabalhadores (CUT) do Brasil e as Comisiones Obreras (CCOO) da Espanha.
Continue lendo

A CARTA ABERTA DE E. P. THOMPSON A L. KOLAKOWSKI E OUTROS ENSAIOS – Ricardo Gaspar Müller e Mario Duayer (Org.)

A CARTA ABERTA DE E. P. THOMPSON A L. KOLAKOWSKI E OUTROS ENSAIOS – Ricardo Gaspar Müller e Mario Duayer (Org.)
Este volume apresenta traduções originais para o português da “Carta aberta de E. P. Thompson a Leszek Kolakowski”, de 1973, e da resposta de L. Kolakowski a E. P. Thompson, de 1974, ambas publicadas no periódico inglês Socialist Register. O livro procura oferecer o contexto histórico dos argumentos discutidos nesses artigos e valorizar seu significado por meio de ensaios que analisam a importância e a atualidade teórica e política desse debate.
Continue lendo

UMA CAIXA DE PANDORA: CRÍTICA À EXPANSÃO DO ENSINO SUPERIOR CATARINENSE NO PERÍODO 1960-2010 – Maurício José Siewerdt

UMA CAIXA DE PANDORA: CRÍTICA À EXPANSÃO DO ENSINO SUPERIOR CATARINENSE NO PERÍODO 1960-2010 – Maurício José Siewerdt
A alternativa encontrada pela classe dominante catari- nense para a reprodução da força de trabalho em nível superior foi por meio do ensino pago, e com professo- res subordinados ao regime de trabalho celetista em instituições municipais fundacionais públicas de direito privado, aglutinadas em torno da Associação Catarinen- se das Fundações Educacionais (ACAFE). No entanto, com a concessão desenfreada para a implantação de IES particulares pelo CNE a partir dos anos 1990, impli- cando o aumento da concorrência intrassetorial, as IES ACAFE, que até então gozavam do monopólio da ofer- ta de seus serviços, acabaram subordinadas à Lei do Valor. Nessas condições, a relativa autonomia adminis- trativa às legalidades do ser do capital é inversamente proporcional à realização da autonomia da instituição e da atividade docente. Conclui-se que essa concorrên- cia põe tanto os dirigentes como
Continue lendo

“TERRA, TRABALHO E TETO”: OCUPAÇÃO AMARILDO DE SOUZA E A LUTA POR REFORMA AGRÁRIA POPULAR NA GRANDE FLORIANÓPOLIS – Fernando Calheiros

“TERRA, TRABALHO E TETO”: OCUPAÇÃO AMARILDO DE SOUZA E A LUTA POR REFORMA AGRÁRIA POPULAR NA GRANDE FLORIANÓPOLIS Fernando Calheiros
O movimento autodenominado Ocupação Amarildo de Souza ganha notoriedade pública nos anos 2013/2014 ao propor realizar a união entre as bandeiras de luta do campo e da cidade. Por meio do lema “Terra, Trabalho e Teto”, apresenta de maneira inédita o novo projeto de Reforma Agrária Popular do MST como perspectiva de ação dentro do espaço metropolitano. A partir das questões relacionadas à crise nas cidades no contexto neoliberal, o presente livro propõe analisar o caso do movimento Amarildo buscando identificar, sobretudo, elementos que possibilitem uma reflexão crítica acerca do conflito estabelecido em torno da atual disputa pela terra, bem como dos limites e desafios colocados às lutas populares em prol de uma maior democratização do espaço na Grande Florianópolis.
Continue lendo

CLASSES DOMINANTES, POLÍTICA E CAPITALISMO CONTEMPORÂNEO – Danilo Enrico Martuscelli

CLASSES DOMINANTES, POLÍTICA E CAPITALISMO CONTEMPORÂNEO – Danilo Enrico Martuscelli

As contribuições para a teoria das classes sociais fornecidas pelo marxismo estrutural de matriz althusseriana, em especial os trabalhos de Nicos Poulantzas, unem os 6 capítulos que compõem este livro. Essa coesão teórico-metodológica atravessa uma gama de subtemas inseridos na temática geral das classes dominantes, tais como: as disputas e problematizações concernentes às apropriações dos conceitos de elite e classe dominante; o debate sobre a existência ou não de uma classe capitalista unificada mundialmente; a validade analítica do conceito de “burguesia interna” para a análise do capitalismo contemporâneo; os critérios utilizados para aferir hegemonia política e hegemonia ideológica e, por fim, a contribuição do marxismo para a análise das crises políticas na reprodução do capitalismo, momentos nos quais tendem a sobressair os conflitos internos ao bloco no poder burguês.
Continue lendo

A CAMINHADA DE LUTA DOS TRABALHADORES DAS EMPRESAS RECUPERADAS – Maria Alejandra Paulucci

A CAMINHADA DE LUTA DOS TRABALHADORES DAS EMPRESAS RECUPERADAS – Maria Alejandra Paulucci

Este livro trata das características do movimento de empresas recuperadas pelos trabalhadores (ERTs) no Brasil, Argentina e Uruguai, em especial os desafios enfrentados por essas empresas para sua sobrevivência. O foco aqui são as relações de força que se desenvolvem junto com o movimento e a análise recai sobre as políticas públicas aplicadas pelos distintos governos, as relações que se estabelecem com as organizações e movimentos sociais, com os sindicatos e as universidades, além das alianças e parcerias engendradas entre as ERTs no âmbito regional, nacional e internacional. Para o caso brasileiro, foram tomadas como referência 5 ERTs localizadas em Santa Catarina e, para o tratamento das experiências argentinas e uruguaias, utilizaram-se pesquisas empreendidas em ambos os países.
Continue lendo

Pesquisando a hegemonia estadunidense na América Latina

A coletânea contida neste volume representa uma amostra da vitalidade do pensamento social crítico latino-americano num contexto que se delineia adverso às históricas lutas pela igualdade substantiva. Retomar o fio histórico da arquitetura de poder em nível global, modelar os conceitos basilares e desvelar a trama do poder inserindo a América Latina nesse cenário permite enfatizar a atualidade e a pertinência do pensamento crítico. A incansável luta dos oprimidos e explorados por condições sociais dignas de convivência assume uma diversidade de formas, para as quais a compreensão histórica da contemporaneidade torna-se o chão da projeção de um futuro cada vez menos materialmente desigual e hierárquico. Continue lendo

Karl Korsch: crítico marxista do marxismo

Este livro oferece uma interpretação da contribuição do jurista e teórico alemão Karl Korsch para o desenvolvimento de uma teoria político-social crítica contemporânea. Realiza uma síntese do contexto da época e da trajetória de Korsch para extrair suas premissas, identifica as bases teóricas que possibilitaram elaborações divergentes do marxismo da II e III Internacionais, apresenta os conceitos/categorias de análise do autor, por meio de dois eixos de sua produção intelectual: a busca constante pela ação autônoma do proletariado e o fenômeno da contrarrevolução nas dimensões fascista, marxista ortodoxa e democrática. Ao final, apresenta a relação entre pensamento e prática de Korsch com o presente. Cinco apêndices trazem a tradução de quatro cartas e um ensaio, inéditos em língua portuguesa. Continue lendo

Capital, trabalho e educação

O livro a que o leitor tem acesso neste momento é uma reunião de textos publicados por Paulo Tumolo em distintos momentos. Não se trata de uma compilação aleatória; ao contrário, há um fio condutor que os alinhava e os une: a discussão da estratégia proletária de superação da ordem sócio-metabólica do capital e o papel que nela pode desempenhar a educação.
Para além das investigações acadêmicas, o interesse do autor pelos debates concernentes à estratégia política proletária e sua relação com a educação se deve, também, às atividades de formação teórico-política dos militantes de variados movimentos sociais e operários que desenvolve como membro do 13 de Maio – NEP desde meados da década de 1980. Continue lendo

Política de Memória Histórica no Brasil: um estudo de sociologia política

Quem tem medo da verdade? Esta é a pergunta que o sociólogo Linoberg Almeida nos faz de início ao prefaciar este livro. Desvendar verdades parece desafio raro numa terra que abraça jeitos e ditos cinzentos, e a autora Juliana Grigoli abre uma picada, um norte, em seu compilar e desmontar dos jeitos de expressar uma época, uma sociedade e suas verdades. Sua pesquisa teve como principal objetivo analisar o processo de oficialização ou institucionalização de políticas de memória histórica no Brasil, em especial no estado de Santa Catarina, assim como as controvérsias em torno de reivindicações não resolvidas. Como resultado, foi possível concluir que ainda há elementos organicamente autoritários constitutivos da democracia instalada, como de controle político sobre as demandas estruturais da sociedade.
Continue lendo